9 de out de 2013

Sete desastres da arquitetura

Arranha-céu sem elevador, prédio de vidro que derrete objetos e mais. Veja construções ao redor do mundo que não deram certo

Recentemente, a notícia de um prédio em Londres que refletia a luz do sol e derretia até carros ao seu redor chocou o mundo. Mas o Walkie Talkie, em Londres, na Inglaterra, do arquiteto Rafael Viñoli, não é a única construção desastrosa do planeta. Problemas como correntes de vento fortíssimas, temperaturas internas altas demais e até a falta de elevadores já afetaram projetos de todo o mundo. Veja sete exemplos de projetos defeituosos que deram o que falar:

Vdara Hotel, em Las Vegas, Estados Unidos
Assim como o Walkie Talkie, em Londres, este prédio também pode derreter coisas. Não é para menos: o arquiteto responsável pelo projeto é o mesmo, o uruguaio Rafael Viñoli. Hóspedes do hotel relataram ter os cabelos queimados e copos de plástico derreterem nos horários mais quentes do dia. Até a água da piscina fica morna. Isso acontece porque a fachada de vidro reflete e potencializa os raios de sol.
-----

Bridgewater Place, em Leeds, Inglaterra
A corrente de vento que se forma na base da torre é tão poderosa que já causou 25 acidentes, entre eles uma morte. Isso faz do maior prédio de Leeds também o mais perigoso. A prefeitura da cidade está trabalhando em uma solução. O projeto é do escritório de arquitetura internacional Aedas.
 -----

 Museum Tower, em Dallas, Estados Unidos
Mais um prédio espelhado que potencializa o calor do sol. Todo de vidro, ele reflete os raios e deixa todo o interior muito quente. Projeto do arquiteto americano Scott Johnson.

-----



Taipei 101, em Taipé, Taiwan
O maior prédio sustentável do mundo é conhecido por sua tecnologia antiterremotos e tufões. O irônico é que alguns geólogos acreditam que, na verdade, seu enorme tamanho e peso – são 500 metros de altura e 700 mil toneladas – estressaram o solo e deixaram a área, antes estável, mais suscetível a terremotos. Projeto do arquiteto taiwanês C. Y. Lee.



-----


Beetham Tower, em Manchester, Inglaterra
Com 46 andares, foi o maior prédio residencial da Europa quando foi inaugurado, em 2006. A “lâmina” no topo causa barulho desagradável para os moradores toda vez que o vento sopra mais forte. O arquiteto responsável, Ian Simpson, que também mora no local, está projetando uma correção para o problema.


-----

 
Intempo, em Benidorm, Espanha
Dizer que um arranha-céu de 47 andares não tem elevador pode parecer uma brincadeira sem graça. Mas um prédio deste tamanho realmente foi construído com esta falha, no que pode ser uma das maiores gafes da história da arquitetura. Foi decidido no meio da obra mais que dobrar o tamanho das duas torres e, na correria, esqueceram de deixar espaço para elevadores maiores e motores. Desde que o problema foi detectado, o arquiteto espanhol Roberto Perez Guerras está trabalhando em uma solução.


-----
 


 Hotel Ryugyong, em Pyongyang, Coreia do Norte
É o maior prédio do mundo desocupado. Devido a uma série de falhas, a torre, de 105 andares, que deveria ser inaugurada em 1992, ainda está em construção. Entre os problemas, estão a escassez de energia no país e a grande fome de 1990. Por causa de erros do projeto, os elevadores não conseguiam chegar aos andares superiores.


Fonte: http://revistacasaejardim.globo.com

Nenhum comentário: